Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sobre tudo e sobre nada.

2023 é o ano do "desisto"

Nos últimos tempos tenho notado que, por mais que tente e por mais que insista, não dá. Por isso, a partir deste ano de 2023 é o ano em que irei desistir de muita coisa.

Esta publicação irá ficar beeeeeem grande por isso, para quem não quiser ler um texto enorme e tiver curiosidade no que irei desistir pode passar para o fim, irei deixar um pequeno resumo.

Há algum tempo que venho a desistir de algumas coisas, maioritariamente na alimentação. Comecei por ver que havia certos alimentos que não me sentia bem após comê-los e então comecei por reduzir o número de vezes que os ingeria até que deixei de comer por completo. Outros alimentos apenas reduzi na quantidade de vezes que os comia. Foi assim que descobri que era intolerante a cebola, sempre que comia pratos que tinham muita cebola ficava com dores de estômago, pensava que era normal, até que deixei de comer pratos com muita cebola e vi que ficava muito melhor. Comecei a fazer pesquisas e fiquei a saber que existia essa intolerância que desconhecia e após consulta médica ela foi confirmada.

Ultimamente tenho notado que digo muitas vezes "isto não dá para mim" embora que continue a insistir mas acabo sempre por me arrepender.

Falando de coisas concretas vou começar pela primeira que "risquei": bebidas alcoólicas, especialmente as mais doces. Não, não irei parar de beber álcool até porque não tenho um consumo diário, muito menos semanal, é um consumo ocasional mas suficiente para levar a esta minha decisão. Nunca fui fã de bebidas alcoólicas doces, sempre achei que elas só provocam sede, deixam a boca super doce o que leva a querer beber mais e mais. Por isso, sempre fugi de licores, posso beber no máximo um copo e tenho que mudar de bebida, seja para outra bebida com álcool ou sem, o que é certo é que não consigo beber muito licor porque irei ficar com uma sede enorme que, curiosamente, fica e depois não passa com nada. Aquilo que acabo por consumir mais é cerveja pois não é doce e sempre foi a minha preferida (falando de bebidas com álcool), porém ultimamente tenho bebido também uma mistura que se costuma fazer que inclui vodka, Tang e 7UP. É bom? É, sem dúvida, parece sumo... doce... O problema está aí, é que é doce. A última vez que bebi foi na passagem de ano e eu disse para mim que desisto dela. Fica muito doce, fico cheia de sede, é uma sensação horrível. Não voltarei a beber? Nada disso, mas numa próxima vez bebo no máximo um copo. Idealmente é não beber, mas um copo será o máximo dos máximos. Esta foi a primeira coisa que desisti em 2023, não fará mais parte da "minha lista" e o "ocasional" passará para "mais do que raramente".

Outra coisa que desisto é comidas "artilhadas". Como referi no início desde texto, já deixei de comer muita coisa e outras fui diminuindo. No passado sábado comi um cachorro quente que era constituído pelo pão, salsicha, batata frita palha, maionese, ketchup, mostarda, bacon e queijo cheddar. Penso que não me faltou nenhum ingrediente, já que eles eram muitos. Tinha bom aspecto? Tinha aquele aspecto de que tem 300 mil calorias mas que uma vez não importa. Fiquei bem? Não e já desconfiava que não iria ficar bem. Habituei-me a comer tudo sem molho e muito à base de cozido ou grelhado e, quando me arrisco a comer algo que não é o meu normal, fico mal. Comecei por ficar com uma sede enorme, também tive algumas dores de estômago e de barriga. Porque é que me ponho a inventar? A última vez que comi um cachorro assim foi há mais de 5 anos, portanto algo que é mais do que raro comer, passa a ter uma valente cruz vermelha em cima e desisto por completo. Até porque eu nem gosto de ketchup e mostarda...

Outra coisa que desisto é de comer gomas. Cá continuo eu com as minhas invenções quando sei perfeitamente o resultado. Mas porque raio eu insisto? Enfim... fiz encomendas na Primor e, como quase sempre, enviam um saquinho de gomas como presente. Desta vez fiz três encomendas, uma não tinha qualquer presente, outra tinha um chupa-chupa e a terceira tinha o tal saquinho de gomas. Quando era criança/adolescente eu comia muitas gomas, mas não sei se mudaram a fórmula das gomas ou se simplemente fui eu que mudei e, de há uns anos para cá, cada vez que como gomas, fico com um sabor de plástico na boca horrível, além de ficar com o meu estômago muito estranho. Ontem decidi que iria comer o saquinho das gomas que vinham na encomenda, tinha apenas 4 gomas e que seria a última tentativa... e foi. Desisto de comer gomas.

Resumindo, para já, e porque ainda só estamos no início de 2023, a minha lista é:

  1. Bebidas alcoólicas doces: não irei desistir de forma definitiva, mas o que era ocasional passará a ser muito mais do que raramente;
  2. Comidas muito diferentes do que estou habituada: se desconfiar ou tiver praticamente a certeza que não irei ficar bem, não irei comer. É algo que desisto por completo;
  3. Gomas: desisto.

Se desistir de algo mais irei atualizar esta publicação. Esta publicação irá servir também para me lembrar que não é para insistir mais... se não me faz bem e não me sinto bem, é para desistir.

4 comentários

Comentar post