Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sobre tudo e sobre nada.

A ânsia de resposta instantânea

Recebi uma mensagem numa página que utilizo para partilhar alguns textos. Talvez eu seja uma pessoa anormal para os dias de hoje porque não passo o tempo todo a atualizar as redes sociais. Vou lá quando me lembro e posso até passar dias sem o fazer. Não sou dependente de estar constantemente a ver o que se passa, se alguém comentou algo ou se enviou alguma mensagem. Eis que uma pessoa que deve ser impaciente e sobretudo com sede de resposta instantânea enviou uma mensagem para essa minha página e não obteve resposta. Por acaso essa página está na rede social Facebook que indica se a mensagem foi lida. O que não aconteceu visto que eu nem sabia que a tinha por lá. Pois que essa pessoa respondeu em seguida à sua mensagem indicando que a um "bom dia" se responde com outro "bom dia", que a uma mensagem que elogia alguém se responde com um "obrigado" entre outras coisas...

Em que mundo vivemos? Onde viemos parar? Estamos a falar de um mundo onde antigamente se enviavam cartas e se esperava pela resposta. Isto quando a carta não se perdia, pois se isso acontecesse ficávamos sem saber se realmente a carta tinha chegado, se a pessoa não respondeu ou se outra coisa tinha acontecido. Cartas enviadas para outros países demoravam imenso a chegar e outro tanto para obter resposta. Porque devemos neste momento querer uma resposta instantânea? Mesmo que eu tivesse visualizado, porque deveria responder logo? Aliás, o que me obriga a responder se eu não quiser?

Normalmente tento responder a todas as mensagens, mas faço-o porque quero. Recebo inúmeras mensagens por dia que, é normal não visualizar todas e muito menos responder a todas.

Isto fez-me pensar na forma como estamos dependentes disto tudo comparado com aquilo que acontecia há uns anos e não precisamos recuar assim tantos anos para voltarmos à era em que isto de Internet, smartphones, redes sociais e etc... simplesmente não existia. Se tínhamos uma dúvida perguntávamos a alguém, ou íamos a uma biblioteca, procurávamos as resposta num livro ou enciclopédia. Queríamos falar com alguém que estava longe, utilizamos o telefone, se tal já fosse possível pois nem todos tinham acesso a um, senão era por carta. A tecnologia é útil e podemos utilizá-la a nosso favor mas não podemos que isso interfira em tudo o que nos rodeia de uma forma negativa.

Esta ânsia por resposta instantânea é algo que vem de uma pessoa sem paciência e muito ansiosa. Enfim, este é mais um desabafo de uma das muitas experiências que já tive em conjunto com a minha opinião...

O que está a acontecer com as pessoas?

4 comentários

Comentar post